Saber perder… E saber ganhar!

Terminou agora há pouco a final olímpica do voleibol feminino: Brasil 3 X 1 Estados Unidos. Maravilha de jogo! Não apenas pela emoção, mas pelas lições que, habitualmente, o esporte nos traz.

Uma campanha sofrida. Terminamos a primeira fase em quarto lugar, dependendo de resultados alheios para conseguir a classificação para as quartas de final. Parecia o fundo do poço. Passamos. E daí… Vitórias até chegar ao Ouro.

Um primeiro set do último jogo sofrido!… Uma derrota escandalosa, humilhante: 25 a 11; capaz de deixar corações na boca. Novamente o fundo do poço. E daí…

Presença. Calma. Paciência. Trabalho e Respiração. Ver essas mulheres – e esses homens, da comissão técnica, representados na figura do técnico – sustentando a situação até a virada do jogo e o seu fim, com a Vitória e o Ouro, não pode ser menos do que inspirador.

Essa equipe soube perder, com presença e dignidade. Soube prosseguir. E soube ganhar, com presença, competência, suor e respeito. Sim, respeito pelas adversárias, nos momentos mais tensos da partida e depois de tê-la vencido. Bonita a cena das atletas brasileiras honrando o time americano enquanto era feita a entrega das medalhas de prata – puxaram o coro “U.S.A.! U.S.A.!” junto ao estádio. Isso também é saber ganhar.

E não é assim, na nossa vida? Vencemos desafios, e o sabor da Vitória é delicioso. Perdemos algumas “partidas” e não é raro vir um desejo de desistir, entregar os pontos, deixar de sustentar a situação vivida. Fica a dica, com esse Ouro Olímpico: Que saibamos respirar, manter a calma (junto com todos os sentimentos presentes!) e sustentar as situações – todas – da nossa vida. De repente… pode vir uma bela virada. O certo é vir aprendizado.

Para fechar, e comemorar, o belo samba “Saber ganhar” do Edu Krieger, interpretado pela Aline Calixto. Presta atenção na letra!

Sou psicóloga em Belo Horizonte – MG. Atendo Psicoterapia individual, de grupo e terapia de casais. Em minha busca por ser uma pessoa melhor, já fiz diversas terapias e percorri um bom caminho de autoconhecimento. Hoje vivo "a sorte de um amor tranquilo". Apaixonada por música, livros e boas conversas.

Deixe uma resposta