8 belas canções de amor da MPB

 

Hoje, 17 de outubro, é o dia da Música Popular Brasileira.

Para marcar o dia, compartilho 8 canções de amor da nossa música. Escolhi canções que fogem, em boa medida, àquele ideal de amor romântico que traz a mensagem de dependência afetiva, do tipo “não-posso-viver-sem-você” (escrevi um texto sobre isso, para lê-lo clique aqui).

 

Paula e Bebeto – Milton Nascimento e Caetano Veloso

A música foi feita como uma espécie de protesto, pelo término do namoro da Paula e do Bebeto, pessoas reais, que depois vieram a se casar e formar família com outras pessoas.

A mensagem é linda e atemporal: “Qualquer maneira de amor vale a pena. Qualquer maneira de amor vale amar”. Não importa o formato da relação, o gênero das pessoas envolvidas… Desde que seja amor, vale a pena.

Inclusive o amor que acaba (como é o caso da história que inspirou a composição). Ele faz parte de quem somos.

 

O quereres – Caetano Veloso

Uma poesia maravilhosa, da melhor fase (na minha opinião) do Caetano.

Para mim, essa música fala dos desencontros do encontro amoroso. Do descompasso entre expectativas e realidade no amor.

Quantas vezes queremos adequar a outra pessoa às nossas expectativas? Ou nos adequarmos ao que ela deseja? Se o amor fosse “redondinho”, sem frustrações (“tudo métrica e rima e nunca dor”), seria “dulcíssima prisão”, onde as pessoas não cresceriam juntas.

A vida não é assim, ela “é real e é de viés”. Cheia de imprevistos, de desafios. Nos relacionamentos há bem querer e, às vezes, mal querer. Conflitos (até certa medida) são oportunidade de crescimento. O amor é grande. Por isso, complexo. E o “quereres” é bruta flor.

 

O medo de amar é o medo de ser livre – Beto Guedes e Fernando Brant

Amar é ser livre. Para sentir, escolher, ir atrás do que se quer e pagar o preço. E isso dá medo. É mais cômodo não amar… Ou só receber amor.

 

“O medo de amar é não arriscar

Esperando que façam por nós

O que é nosso dever – recusar o poder”.

 

 

 

Onde a dor não tem razão – Paulinho da Viola e Elton Medeiros

Esse samba me emociona. É uma das minhas canções de amor preferidas.

Levamos, às vezes por muito tempo na vida, feridas de amor.

Mas sempre é possível “do peito tirar o espinho”. É a hora em que a velha esperança renasce, e estamos, de novo e ainda, prontos(as) para o amor.

Hora de “reabrir as janelas da vida”.

 

Todo amor que houver nessa vida – Cazuza e Frejat

Encontrar um “amor tranquilo” é mesmo sorte, né?

Viver um amor tranquilo é um pouco mais. Envolve fazer essa relação ser tranquila, no cotidiano, sem contos de fadas e sem poesia a toda a hora, no “inferno e céu de todo dia”. E com maturidade para “transformar o tédio em melodia”.

A sua – Marisa Monte

Marisa monte é uma grande cantora e compositora do amor.

A música fala de amar e ser livre. Amar e deixar livre.

Nem sei se é uma canção de um amor conjugal ou para um filho/filha… Acho que caberia nos dois tipos de relação.

Mas a ideia de amar e não aprisionar é maravilhosa.

Dia branco – Geraldo Azevedo e Renato Rocha

Um clássico das canções de amor, essa música é de casamento!

Um convite a caminhar juntos, pro que der e vier.

Com chuva ou sol – como acontece nos relacionamentos amorosos.

Em qualquer lugar.

Sem maiores promessas e expectativas. Apenas compartilhar o caminho.

Linda.

Eu te desejo amor – Charles Trenet / Nelson Motta

Essa não é uma canção original da MPB. É uma versão de Nelson Motta de “Que Reste-T-il de Nos Amour”, de Charles Trenet.

Maria Bethânia é uma das maiores intérpretes da música popular brasileira. Especialmente, canta o amor.

A canção fala de um relacionamento que acabou. Parte sempre difícil dos nossos amores.

 “Meu coração já aceitou que o nosso tempo já passou, que para nós não há depois e nem talvez”…

 E uma pessoa deseja para a outra o melhor.

E segue a vida.

Podíamos ser sempre assim, no fim.

 

“Adeus amor, bem vindo amor

Vamos seguir?”

 

E você?

Quais as suas canções de amor favoritas?

Sou psicóloga em Belo Horizonte – MG. Atendo Psicoterapia individual, de grupo e terapia de casais. Em minha busca por ser uma pessoa melhor, já fiz diversas terapias e percorri um bom caminho de autoconhecimento. Hoje vivo "a sorte de um amor tranquilo". Apaixonada por música, livros e boas conversas.

3 comentários em “8 belas canções de amor da MPB

  1. Adorei escutar a seleção das músicas! Lindas e reveladoras sobre a “ousada” experiencia que é amar…
    Parabéns pelo texto cantante!

Deixe uma resposta