4 boas razões para fazer Psicoterapia de grupo

Este texto foi escrito por Juliana Soares e Ana Luiza Junqueira. Ana Luiza é psicóloga, psicoterapeuta de individuos, familia, casal e grupos. Fez pós-graduação em Psicodrama pelo Instituto Mineiro de Psicodrama e em Psicoterapia de Familia e Casal pela Puc Minas, e formação em Práticas Colaborativas e Dialógicas pelo Interfaci / Taos Institute.

Nós atendemos grupos de psicoterapia, juntas, desde 2004. Recentemente, ao inserirmos duas pessoas novas num grupo já existente, uma das “novatas” já chegou perguntando às “veteranas”: O que tem aqui na terapia de grupo que me faria vir pra cá ao invés de ir para uma sessão individual de psicoterapia? Pergunta inteligente e inquietante, que revitalizou em nós importantes reflexões sobre o assunto, que compartilhamos aqui.

Razões para participar de um grupo de psicoterapia

Raras são as situações em que alguém procura psicoterapia querendo ir para um grupo. Mas, se dependesse de nós, a maioria das pessoas em processos terapêuticos usufruiriam de pelo menos um tempo dessa modalidade. Aqui vão alguns dos motivos que nos levam a pensar assim.

Abordar questões relacionais

Todas nós temos questões no que se refere a relacionamentos interpessoais. Enquanto na terapia individual essas questões são narradas para a terapeuta, e ela faz suas intervenções com base na versão da pessoa que conta (com os condicionamentos do seu ponto de vista individual), na terapia de grupo as relações interpessoais estão acontecendo “ao vivo”, e terapeuta e clientes podem observar e atuar sobre o aqui-e-agora.

Desenvolver habilidades sociais

Nós, terapeutas, costumamos dizer que o grupo de psicoterapia é como um microcosmo social. Ou seja, os papéis que a pessoa costuma desempenhar na sua vida, e as ações e reações que costuma ter, são revividos no grupo. A terapia individual se dá num ambiente seguro para que a pessoa explore seu mundo interno, e a terapeuta está completamente disponível para ela, durante o tempo daquelas sessões. Isso é ótimo, mas é uma situação completamente diferente de qualquer outra que vivenciamos na nossa vida adulta (só os bebês contam com ajuda exclusiva da mãe ou substituta). Já a terapia de grupo oferece um modelo de circularização das relações, mais próximo das situações que vivemos em nosso cotidiano: são pessoas que compartilham um objetivo (se trabalharem psiquicamente) e devem dividir espaço, tempo e a atenção das terapeutas. Acreditamos que há, aí, muitos ganhos que se aplicam mais facilmente à “vida real” do que os ganhos da psicoterapia individual.

Cultivar empatia e altruísmo

No mundo em que vivemos, somos constantemente orientadas para o sucesso, a produtividade e o individualismo. Estamos sempre “olhando para o nosso próprio umbigo”. É difícil olhar para as outras pessoas, nos colocarmos no lugar delas, considerá-las com profundo respeito a sua singularidade. Manter uma psicoterapia apenas no formato individual nos coloca em risco de reforçar esse individualismo. Já no grupo, deve haver um equilíbrio entre falar de si e escutar as outras pessoas; receber ajuda sobre as suas questões e oferecer apoio às colegas de terapia. Pensamos que é uma boa oportunidade de desenvolver essas habilidades, que encontram-se em falta por aí.

Entrar em contato com a própria força e vulnerabilidade

Outra característica do nosso tempo é que queremos não apenas ter sucesso, mas mostrar o nosso sucesso. Nas redes sociais e em conversas menos profundas, as pessoas mostram as suas vitórias. Falta-nos a capacidade de encarar a nossa vulnerabilidade. A psicoterapia em si é uma proposta de autoconhecimento e, portanto, de entrar em contato com tudo de si, inclusive a fragilidade. Mas a psicoterapia de grupo é um lugar privilegiado, de considerar a própria vulnerabilidade e a das outras pessoas e, assim, nos reconhecermos humanas, todas fazendo parte do mesmo “pacote”, com nossa força e nossa necessidade de sermos ajudadas.

Concluindo…

Bom, essas são razões que nos movem a prezar tanto os atendimentos terapêuticos em grupo. E você, o que pensa a respeito? Já experimentou esse tipo de psicoterapia? Tem dúvidas e reflexões a respeito? Compartilha com a gente nos comentários, vamos conversar sobre isso e, quem sabe, desmistificar um pouco o assunto.

 

Obs.: Quer saber um pouco mais sobre como é a Psicoterapia de grupo na prática? Leia esse texto aqui.

Obs. 2: Falamos das pessoas no feminino, mas esse texto é válido para pessoas de todos os gêneros.

Imagem: Pixabay

 

Sou psicóloga em Belo Horizonte – MG. Atendo Psicoterapia individual, de grupo e terapia de casais. Em minha busca por ser uma pessoa melhor, já fiz diversas terapias e percorri um bom caminho de autoconhecimento. Hoje vivo "a sorte de um amor tranquilo". Apaixonada por música, livros e boas conversas.

2 comentários em “4 boas razões para fazer Psicoterapia de grupo

  1. Belo texto Ju! Sinto realizada com nossa parceria de atendermos grupos juntas há tanto tempo! A psicoterapia de grupo , sem dúvidas, é um contexto extremamente rico em seu potencial terapeutico. Sempre digo que existem ganhos terapeuticos que somente a experiencia do grupo pode oferecer. Desejo que continuemos nessa jornada por muito tempo.
    Forte Abraço!

Deixe uma resposta